O Janeiro continua … trágico!

O Globo 11.07.2017
Aprendi – ao longo da profissão de jornalista – que o caos vai se formando como resultado de uma série integrada de interesses nefastos. Comércio de armas e drogas, empresas de segurança, igrejas de arrecadação, votos populistas… Muitos lucram “muito” no caos. O prejuízo é exclusivo dos que insistem em viver no lado bom da força, nas favelas, comunidades e até mesmo na tal área dos mais favorecidos. Então, a quem interessa essa matança? Proponho pararmos de pagar TODOS os impostos e taxas até que o contrato social seja cumprido pelas outras partes. Saúde, educação e segurança. Para isso, precisamos da parceria da Justiça que entenda os nossos direitos como violados pelo Estado representados por suas autoridades constituídas. Não vou queimar ônibus nas ruas, até porque isso não são pessoas de paz que fazem; não vou abraçar árvores nem soltar pombos pedindo paz porque essa ingenuidade não me cabe mais. Ministério Público, socorro!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.