Dresden, a fênix do rio Elba

Os bárbaros chegaram e os povos germânicos saíram. No século VI chegaram os povos eslavos. o nome Dresden vem daí, seria Drezdane que significa “terra do povo da floresta pantanosa”. Com a expansão alemã no século X, o castelo Meiben (Meissen) foi a residência de um dos margraves eleitos pelo rei alemão Henrique I. Outro Henrique – o ilustre – foi o primeiro margrave a morar em Dresden, em 1274. No século XVI, Dresden se tornou capital do eleitorado da Saxônia. O auge de cidade-arte foi com Augusto – o forte-, príncipe da Saxônia e também rei da Polônia. Um apaixonado por arte que não poupou gastos e gostos extraordinários. Minha passagem por Dresden foi rápida como costumam ser algumas paradas em excursões. Dresden me pareceu um rico e detalhado cenário de um filme épico, mas é real. Foi construída e reconstruída. Questiono o desperdício de dinheiro, a mão de obra escrava e o pouco uso de edificações fabulosas. Questiono mais ainda a reconstrução de tal suntuosidade, mas um sentimento contraditório me diz que algum sentido há de ter. O certo é que Dresden é encantadora. Apreciem e divirtam-se!!!

 

 

Um comentário em “Dresden, a fênix do rio Elba

  • agosto 11, 2016 em 1:57 am
    Permalink

    Arrasou mais uma vez Fernanda. Parabéns!!! Naia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.