MALDITA POLTRONA !!!! ( Capítulo 4 )

A diarista nada teria a fazer no apartamento de Carlota não tivesse esquecido o celular a carregar a bateria na cozinha. O dia da faxina foi ontem. É só uma vez por semana. Deixou o aparelho escondido atrás do filtro, no vibracall, que chama de vibrador, mas não gosta, porque vibrador para a diarista é outra coisa, que não usa, graças a Deus, porque o marido é diarista nas tarefas do lar. Carlota não reclama quando o celular toca – e toca muitas vezes – mas é melhor não abusar. A ideia agora é aproveitar que a patroa está tirando um cochilo, entrar e sair sem ser percebida. Vai que a patroa acorda e leva um susto? Alguém entrando no apartamento? Pode achar que é um assaltante e o susto ser tão grande que tem uma coisa. Vai que mata a patroa com o susto? Não, melhor sair logo sem fazer barulho.

Carlota nem sonha que alguém entrou e saiu do apartamento. Nada ouviu. Susto não, porque, com os olhos fechados, rogava a Deus que um assaltante invadisse o apartamento, mas a velha ficaria surpresa com a chegada da diarista. Surpresa e esfuziante. Estaria salva!… Aconteceu quase tudo e não aconteceu nada. Lá estava Carlota presa na poltrona sem nenhuma ideia capaz de tira-la da imobilidade e risco de ali morrer à mingua. Ao reabrir os olhos, deu mais uma vez com a visão da pintura descascada no teto. Que se dane o teto e a reforma elétrica urgente. O estômago começa a dar sinais de fome. O enorme copo d´água que bebe em jejum, desde jovem, também começa a fazer efeito. O que vai ser dela sem comer? E a vergonha de não conseguir segurar o xixi por muito mais tempo? Seria melhor ter agora um eficiente mal súbito com qualidade e intensidade. Aos 92 anos de idade o coração bem podia fazer a gentileza de parar para sempre e livra-la da vergonha de fazer xixi na poltrona. Carlota aceita com tranquilidade a morte, mas recusa-se a aceitar resignada os vexames que a velhice lhe propõe. Lembra-se que o vestidinho solto e fresco que escolheu vestir esta manhã tem uma faixa de pano na cintura. Não tem forças para dar os impulsos e se levantar da poltrona, mas será que consegue força para se enforcar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.