SERIA A INTERNET A VOLTA PROMETIDA?

Deus existe ou não? Por que uns têm tanta fé, outros pouca e outros nenhuma? Já ouvi gente dizer que “não acredita, graças a Deus.” Eu prefiro acreditar na existência de Deus – ou de um Deus – porque me sinto menos só num mundo tão grande, mas, especialmente, porque penso. Como pode o Universo ser infinito? Quem criou o criador? Se penso sobre a existência de Deus, algo existe ou eu nem teria essa capacidade. Como um monte de carne anda, enxerga, escuta, fala e sente? Na mais corriqueira das suposições, existe um imenso gerador de energia que nos põe para mexer. Onde está esse imenso gerador? É tão imenso que gera energia para todo o Universo, para os milhões de galáxias. Já sabemos, cientificamente, que o nosso planeta Terra é um grão de areia na imensidão do Universo. Também são científicas as informações sobre a extensão do Universo e os milhões de galáxias, embora eu pense que a Ciência se vira como pode dentro do mesmo Mistério propagado pela fé. Explica muito, mas as explicações são infantis para a grande pergunta: Por que existimos? Por um acaso na sopa de moléculas? Seria cômico se não fosse científico. Mas, mesmo sendo científico, é cômico.

Dia desses, desabafei com um amigo espírita meu questionamento sobre a existência de Deus. Não é uma conversa que se pode ter com qualquer pessoa. Há os crentes demais, que me enxotariam do planeta; há os totalmente descrentes ( assim o dizem, embora pensem e isso me parece uma contradição ) que cortariam a conversa pela raiz: Não há mistério! Nada existe! Morreu, acabou!… Há os que creem, mas questionam a crença, assim como eu. Vou direto à pergunta sobre a existência de Deus para início de conversa. Tendo chance, aos poucos me explico, como explico agora, que nem se trata de fato e de direito de um Deus. Pode ser qualquer outra coisa que tenha tamanho poder gerador de energia. Uma imensurável consciência coletiva como um HD sem limites de memória. Penso no que atualmente chamam de Nuvem, todas as consciências num espaço sem limite físico. Quem sabe fazemos parte de uma consciência coletiva alimentada pelo gigantesco e poderoso gerador de energia que nos dá a vida quando plugados e nos tira a vida quando desplugados. Tira a vida matando a carne, não a consciência. Não faz sentido aprendermos tanto para enterrar ou cremar todo o conhecimento junto com a carne. Todos sempre aprendem alguma coisa.

Meu amigo me escutou, caladinho e resignado.

– O que custa Deus conceder uma pequena mostra, por mais ínfima que seja, de que existe algo além do que vemos, percebemos e podemos entender? Existem espíritos desencarnados neste e nos planos espirituais? Nos deixe ver um? Por que não? Seria tão pouco e a fé se estabeleceria sem questionamentos. Passaria a ser: Que existe, existe, porque vi, o resto vou saber quando chegar mais perto. Mas, não. Não vejo, nem escuto nada. Aprecio e admiro demonstrações da natureza como o movimento da Lua e das marés, formas perfeitamente geométricas em flores, os olhares desconcertantes dos cachorros e outros animais… Pode ser Deus, pode ser um cérebro fantástico criador e inimaginável aos nossos bilhões de neurônios, aliás, vivos enquanto a energia não se esgota.

– Eu vi o meu anjo da guarda. – me disse meu amigo.

– Sóbrio? – brinquei.

– Eu vi meu anjo da guarda. – ele repetiu. – Fiquei sem fala. Ele falou comigo, me disse quem era e eu sem fala. Vontade de correr.

– Sério?

– Seríssimo. Até por isso acredito totalmente na existência de algo muito além desta vida que vivemos.

– Está vendo? Você teve uma demonstração da existência desse algo muito mais. Eu não. Não vejo, nem escuto nada. Digo que não quero ver, nem escutar, mas quero sim, nem que seja para ficar assustadíssima e correr quilômetros.

– Há muitos sinais…

– Sinais? Sim, coisas acontecem, podem ser sinais. Comigo, quando penso que algo aconteceu como um sinal para eu ir adiante ou bater em retirada, me engano. Muitas vezes, estou cem por cento certa que recebi um sinal. Nas mesmas tantas vezes, logo percebo, concretamente que, se era um sinal, não entendi o sinal. Para onde foram os meus entes queridos? Onde estão as pessoas que me amaram e me protegeram aqui no chamado plano físico e me fazem tanta falta? Estão num plano espiritual? Acabaram para sempre? Se sobrevivem em consciência, por que não conseguimos nos conectar?

– Há quem consiga.

– Mas eu não consigo. Eu e bilhões de pessoas só aqui neste planeta. Por que nós não? Nem em sonho, quando dizem que o espírito se liberta do corpo e pode ir além do nosso espaço físico. Se sonho com algo importante, quando acordo não me lembro. Meus sonhos não fazem qualquer sentido. Só maluquices. Encontro pessoas que nunca vi, em situações surreais.

– Você não pode pensar assim…

– Posso e penso. Por que então “Deus” me deu a capacidade de pensar, de raciocinar? Ele devia saber que eu chegaria nessa pergunta que, terrenamente, racionalmente, confortavelmente, é respondida pelo tal limite do Mistério. Difícil acreditar no que não se vê, nem se ouve. São Tomé estava certíssimo!… Somos seres racionais, precisamos apalpar as questões. Só consigo chegar no que imagino poder ser. Uma imensa consciência coletiva universal onde se reúnem todas as nossas consciências, de corpos vivos ou sem corpos. Daí explicações para fenômenos como crianças prodígio e plágios. No universo coletivo as consciências se misturam, em corpos vivos, acordados e dormindo, e em energia pura, sem o corpo. Posso ter uma ideia aqui no Brasil que alguém está tendo na Nova Zelândia. Ou eu estou captando a ideia de quem está na Nova Zelândia ou quem está na Nova Zelândia está captando a minha ideia. Podemos compor uma música igual ou bem parecida, por exemplo. Ou escrever um livro sobre o mesmo tema, até com o mesmo roteiro. Ou pintar um quadro semelhante. Ou descobrir uma fórmula química, uma prova cientifica… Quem sabe não é a Internet a famosa volta do filho de Deus?

– Hein?

Imagina se Deus iria mandar de novo o filho para ser taxado de louco aqui na Terra? Se há mais de dois mil anos, se é que Jesus Cristo realmente existiu, aconteceu o que aconteceu, imagina agora? Se Deus existe, viu que a ideia não foi perfeita como O definem. Jesus podia ter mandado Pôncio Pilatos se catar!… Que “lavo minhas mãos” que nada. Crucifiquem a estupidez de vocês!… Jesus destruiu o templo! Por que não arrasou com Pôncio e a turba toda? … É o seguinte, para os que não entenderam: EU SOU O FILHO DE DEUS!!!!… Nada nem ninguém me detém. Meu reino não é deste mundo, é verdade, é muito superior a este!… Coloquem as violinhas no saco que vou falar só mais uma vez. E tenho dito!…

– Hein?

– É o que eu acho. Olha para este mundo e me diz: para quê serviu tamanho sofrimento e humilhação de Jesus? Ninguém entendeu nada!… A bíblia continua sendo o livro mais vendido em todo o mundo e aí? Se Cristo existiu, não deixou nada escrito e palavras o vento leva. Bem sabemos que o boca em boca é como a brincadeira do telefone sem fio, cada um vai mudando um pouco até que, muitos anos depois, pelo menos setenta anos, quando dizem que, efetivamente. começaram os escritos sobre a vida do Cristo, imagina quanto já não tinham inventado?! Ainda mais que o Homem falava em aramaico, em metáforas!… E ainda aconteceram os ruídos nas traduções. Além do mais, tudo o que sabemos pela leitura dos Evangelhos foi escrito por homens, não admira que as mulheres sejam tão subestimadas nas histórias e tão excluídas do grande momento da humanidade. A que ficou mais famosa, fora a Virgem Maria, por motivos óbvios, foi Madalena, a prostituta apedrejada, salva por Jesus. Madalena roubou a cena. Conveniente, se partirmos da mulher feita da costela de Adão, que foi ela quem levou a culpa pelo pecado da gula com uma simples maçã, o que culminou na expulsão do primeiro casal do que seria o Paraíso. A mulher já começa a história culpada, mas foi de uma mulher que saiu o filho de Deus. E os filhos de Adão e Eva? Procriaram entre eles. Incesto!

– Não sei o que dizer…

O Deus que minha mente me leva a chegar mais perto, mesmo assim longe demais, é uma potência de energia. Uma potência de energia criadora e, sim, manipuladora. É a fonte da energia que anima a todos nós; só aqui no planetinha são bilhões de criaturas. Compara isso à história de Jesus e chegamos a uma fábula.

– Deus meu…

O que penso não é para ser temido, muito menos para desconstruir a melhor História de todos os tempos, mas para entendermos como o tal Mistério existe e vai existir sempre, só que podemos entender que estamos TODOS conectados a uma consciência máxima. Somos todos filhos de Deus, porque estamos todos conectados a essa consciência poderosa; somos feitos à imagem e semelhança Dele, porque somos parte dessa extraordinária consciência. A tal faísca divina!

– E a Internet nisso?

– A rede! A Nuvem! Eis a grande metáfora afinal! Podemos entender a interligação de todos nós e enviar nossas ideias para a Nuvem, a consciência universal!…

– Isso tudo me parece tão assustador quanto ver o meu anjo da guarda. Estou sem palavras de novo…

– Não é assustador! É quase científico. O Mistério fica na parte dessa consciência poderosa e universal. Tem forma? Permite o acesso individual? Tem planos para cada um? Como são distribuídos ou programados esses planos? Porque, repito, não aceito estar vivendo anos e anos, aprendendo, dando com os burros n’água, sofrendo, tendo alegrias, assistindo às diferenças por vezes abissais entre os humanos, de posses, de capacidade intelectual, inteligência, ignorância, burrice, enfim… Tem gente que nasce, cresce e morre em sofrimento profundo, por doença, por miséria, por doença e por miséria. Tem os que nascem em berço de ouro e morrem em camas de pedras preciosas. Tem humanos do calibre de uma Madre Teresa De Calcutá e humanos do calibre de um Hitler. Humanos da suprema inteligência de um Einstein e humanos com a burrice de uma ameba. Por quê? Pra quê? As perguntas continuam. O meu insight é sobre o todo, mas eu que me frustre com isso também, porque, esse todo, não me responde às perguntas que realmente me importam. Uma pergunta em especial: O que estou fazendo aqui? Tenho uma missão? Se tenho, qual é, porque não faço a menor ideia qual seja. Na minha avaliação, absolutamente sincera, depois de uma cuidadosa e detalhada pesquisa sobre mim, não fiz, não faço e não farei nenhuma diferença. Entrei e saio da vida sem nenhum grande feito, nem bom, nem mau, porque pode ter algum significado ter gente boa, gente mais ou menos boa, gente mais ou menos má e gente horrorosa.

– Vou ser sincero. Nem vou pensar nisso tudo que você me disse. Vou pra casa fazer minhas orações diárias e, verdade, vou rezar muito por você.

– E eu vou continuar sendo sincera. Também vou pra casa e vou continuar fazendo as minhas orações porque, repito, prefiro acreditar na existência de alguém ou algo que me escuta. E se essas minhas ideias são inspirações do Demo? Aí existe Deus e o Demo?!…

– Até mais.

– Tchau…

2 comentários em “SERIA A INTERNET A VOLTA PROMETIDA?

  • dezembro 16, 2015 em 1:07 pm
    Permalink

    fernandinha,
    escrever sobre deus não é fácil não….
    não posso te ajudar muito sobre tuas dúvidas…
    mas se vc pensa, vc existe…..
    e mais vc conseguiu escreveu mais de 100 linhas ….sobre deus….o mito DEUS!!!
    ainda tens dúvidas??
    tem medo de assombração??
    alma do outro mundo??
    tem medo de morrer?
    e depois, vai reencarnar???
    ânimo, anima,reza, ora, faça tuas preces, crê….
    mas que há alguém acima de nós, tem sim….
    muito poderoso….
    tenha fé, vá em frente…
    muitos vão odiar teu texto, ou mesmo nem entender…
    mas eu adorei. quase que dá um livro….uma bela história….
    misturei tu com vc, não liga não, fica mais popular….
    abs

  • dezembro 19, 2015 em 4:24 am
    Permalink

    Que bom que você entendeu. Eu CREDITO!!!… mas nem por isso deixo de tentar entender o motivo da nossa existência. Entre mim e o Deus ( ou Deusa ), a energia estupidamente poderosa não há intermediários. É pura conexão que às vezes falha. E falha pelo meu equipamento ruim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.