O Palácio Real de Mafra, Portugal / segunda parte

Em 1808, Napoleão Bonaparte estava com as tropas francesas nos calcanhares de Lisboa. Nem de longe Portugal tinha condições de se defender. Foi aí que o príncipe regente Dom João tomou a decisão de transferir a corte para a colônia Brasil. A família real portuguesa enfiou-se em quatorze naus e caravelas com dinheiro, documentos importantes e obras de arte. Uma das grandes decepções de Napoleão foi encontrar o Palácio de Mafra desfalcado das preciosidades. Na volta da corte a Portugal, o tesouro voltou também para casa e há muito para ser visto. Quando o Palácio Real foi construído, o então rei de Portugal, Dom João V, abusou do gosto pelo bom e pelo melhor da arte. O príncipe regente, que seria o rei Dom João VI, antes da forçada temporada brasileira, acrescentou outros tantos mimos luxuosos ao complexo de Mafra. É história e beleza, cerca de meros 20 km de Lisboa. Nem de longe este vídeo substitui uma visita presencial. É só um aperitivo. Divirta-se!…

 

 

Um comentário em “O Palácio Real de Mafra, Portugal / segunda parte

  • Janeiro 16, 2017 em 6:45 pm
    Permalink

    Que espetáculo, Fernanda! Não sei como você consegue se superar em cada trabalho que nos brinda!! Congrats!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.